Educação

Ministro da Educação diz que candidato também foi eliminado do Enem por vazamento

Em pronunciamento em rede nacional, Abraham Weintraub disse que 'houve eliminação do candidato e afastamento dos aplicadores'

BRASÍLIA — Em pronunciamento em rede nacional de TV, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que os aplicadores apontados como responsáveis por vazar um trecho da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na semana passada foram afastados e não participarão da aplicação da segunda parte do exame, marcada para este domingo. Segundo Weintraub, um candidato também foi eliminado por causa do episódio.

— Tivemos pequenos problemas que nada interferiram na aplicação e na validade do exame. Aqueles que usaram o celular para tirar foto ou mesmo filmar a prova após o início do exame já foram identificados pela Polícia Federal, que está tomando as providências cabíveis. Por parte do MEC, houve a eliminação do candidato e afastamento dos aplicadores, que não poderão participar do Enem neste domingo. Fique tranquilo, está tudo sob controle — disse o ministro.

Na manhã deste sábado, a Polícia Federal deflagrou uma operação para apurar o vazamento. Segundo a PF, duas aplicadoras (e não aplicadores, como disse Weintraub) de Fortaleza são suspeitas de irregularidades.

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, autorizados pela 12ª Vara Federal de Fortaleza, nas casas das aplicadoras, que tiveram seus celulares apreendidos.

No pronunciamento à nação, Weintraub aproveitou ainda para avisar que candidatos podem ser eliminados caso seus equipamentos eletrônicos emitam algum som, ainda que os aparelhos estejam dentro das embalagens lacradas.

— Se você levar o celular, preste muita atenção: verifique se o alarme está desativado e se o aparelho está desligado. Caso qualquer som seja emitido por aparelhos eletrônicos, incluindo relógios, o participante será eliminado na hora, mesmo que estejam lacrados na embalagem dada pelos fiscais. Tome cuidado — frisou.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios