DestaquePolítica

MP volta atrás e pede nova proibição de recursos públicos nas obras da Linha 4 do metrô

Emenda feita por promotoras exige que empreiteiras concluam as obras estruturais sem que o Estado destine mais dinheiro

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro ( MPRJ ) entrou com uma emenda na ação civil pública inicial proibindo novamente que o Governo do Estado retome as obras da Linha 4 do metrô , da estação Gávea , com aporte de novos recursos públicos.

Veja também: MEC anuncia programa para criar 1,5 milhão de matrículas na educação profissional

A emenda também exige a conclusão das obras estruturais para afastar o risco de colapso — apontado em laudo técnico produzido pelo Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio). Essa etapa, no entanto, precisaria ser finalizada pelas empreiteiras a um custo calculado de cerca de R$ 350 milhões. O pedido ainda será julgado pela 16ª Vara de Fazenda Pública da Capital.

Há um mês o MP decidiu entrar na Justiça para obrigar o governador Wilson Witzel a concluir as obras e o Estado vinha estudando utilizar recursos provindos da Operação Lava-Jato.

Veja também: Bolsonaro: petróleo pode ter sido despejado “criminosamente”

A emenda foi apresentada durante uma audiência pelas promotoras Liana Barros Cardozo, Bárbara Salomão Spier e Gláucia Maria da Costa Santana. O MP requereu que seja concedida a antecipação de tutel a para que as empresas concluam as “obras brutas da Estação Gávea”.

Durante a audiência, realizada no dia 19 de setembro, o juiz Marcelo Martins Evaristo da Silva, se viu com dois pedidos com “alteração substâncial” e pediu vista do processo.

Nesta segunda-feira, o magistrado deu um prazo de dez dias para que o Ministério Público apresente um único pedido, sem divergências, para garantia do amplo direito de defesa do Estado e das empresas.

Veja também: Fabíola Reipert continua batendo e preocupando a Globo

“Tendo em vista que a emenda altera substancialmente os pedidos deduzidos na inicial, DETERMINO à parte autora, com o escopo de precisa definição do objeto litigioso e garantia do exercício do amplo direito de defesa por parte dos demandados, a apresentação de emenda em PEÇA ÚNICA E CONSOLIDADA, no prazo de 10 (dez) dias. 2 – Manifestem-se as partes sobre o requerimento de acesso aos autos (IE 1847/1848). Após, voltem conclusos para a apreciação do pleito.”, diz o despacho.

.

Via
O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios