Internacional

Navios de cruzeiros não poderão atracar no centro histórico de Veneza a partir de setembro

Turistas em excursões também serão obrigados a pagar uma taxa de 10 euros para entrar na cidade

Grandes embarcações, como navios de cruzeiros , não poderão mais atracar próximo ao centro Histórico de Veneza , na Itália. A partir de setembro, eles serão redirecionados aos terminais de Fusina e o Lombardia, no lado oposto das ilhas centrais da cidade. A nova regra foi informada ontem pelo ministro de Transportes da Itália, Danilo Tonielli.

— O objetivo é redirecionar cerca de um terço dos navios de cruzeiro já reservados em Veneza até 2020. Estamos debatendo a questão dos grandes navios há 15 anos e nada foi feito. Esses palácios flutuantes vão começar a ir para outro lugar — disse em uma audiência do ministério.

Tonielli anunciou também que a partir de setembro turistas em excursões devem pagar uma taxa de 10 euros para entrar na cidade. Quem dormir no local estará isento do pagamento, pois os impactos da visita à cidade já estão incluídos na diária dos hotéis. O ministro disse que uma consulta pública será realizada para resolver o probelma com os navios a longo prazo.

A novidade atende aos apelos da população local , que protestava contra a presença cada vez maior dos grandes navios nos canais da cidade, trazendo milhares de turistas ao local diariamente.

Em junho, o navio MSC Opera perdeu o controle e colidiu contra outra embarcação turística no terminal San Basilio, ferindo quatro pessoas. Um mês depois, o cruzeiro Costa Deliziosa, estava prestes a sair da cidade quando perdeu o controle e quase bateu em um iate durante um temporal.

Especialistas defendem também que os cruzeiros contribuem para a erosão das fundações da cidade, constantemente inundada.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios