Política

‘Ninguém estaria contra a Namoradinha do Brasil ser a terceira ministra mulher do governo’, diz Bolsonaro

Presidente falou em entrevista ao Jornal da Band que Regina Duarte pediu a volta do Ministério da Cultura

BRASÍLIA – O presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta-feita, em entrevista ao Jornal da Band, que a atriz Regina Duarte lhe perguntou se há como transformar a Secretaria Especial da Cultura em um ministério. Ele admitiu essa possibilidade, desde que haja apoio da sociedade. A artista foi convidada para assumir o órgão após a demissão do ex-secretário Roberto Alvim, na semana passada, e deve ser nomeada após o retorno do presidente da Índia, na próxima terça-feira.

Bolsonaro comentou que a política do seu governo é de não criar novas pastas além das atuais 22, mas citou a previsão de que o Banco Central perca o status de ministério. O Congresso deve começar a votar em fevereiro a autonomia da autoridade monetária.

Na entrevista desta sexta, Bolsonaro contou como chegou à atriz.

— Olha, eu conhecia, obviamente, não tem quem não saiba quem é a Regina Duarte, né? Tivemos o problema com o secretário, foi demitido no mesmo dia que apareceu o problema, e apareceu a oportunidade de conversarmos com a Regina Duarte. A conversa foi muito bem, a brincadeira é que estamos namorando, estamos noivos, e devemos agora na minha volta, na quinta-feira, quarta ou sexta, nomeá-la à frente da Secretaria da Cultura — declarou Bolsonaro, na entrevista concedida em Nova Délhi.

O presidente disse que confia no trabalho da atriz e que “abriu o jogo com ela”. Os dois se encontraram na segunda-feira, no Rio, em na quarta, em Brasília. Regina ficou na capital federal até a quinta e visitou as instalações da secretaria, acompanhada do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, ao qual o órgão é subordinado.

— E a tratei como se fosse um ministro, uma ministra… Ela até falou: “dá pra ser um ministério?”. Poxa, a nossa política é de não criar novos ministérios. Nós vamos perder um ministério agora, que é o Banco Central, que vai se tornar independente, então, quem sabe, nessa oportunidade a gente possa conversar sobre isso, desde que haja um apoio da sociedade – complementou Bolsonaro.

O presidente concluiu dizendo achar que ninguém estaria contra a possibilidade “de ver a namoradinha do Brasil como a terceira ministra mulher” do governo. Hoje, as exceções são Tereza Cristina (Agricultura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

Via
POR : O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios