DestaquePolítica

“O acordo feito é para votar na próxima sessão”, reforça relatora, no Senado, da PEC da prisão na 2ª instância

A senadora Juíza Selma (Podemos), relatora da PEC da prisão da segunda instância, disse a O Antagonista esperar que seja cumprido o acordo para votação da proposta na próxima sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O parecer dela — favorável à PEC — está pronto desde 6 de agosto. Com o julgamento de ontem sobre o tema no STF, a senadora fará ainda hoje pequenos ajustes no texto, apenas para atualizar a contextualização.

“O acordo com a Simone [Tebet, presidente da CCJ do Senado] era para não pautar antes do julgamento do STF. Agora, o acordo feito é para votar na próxima sessão. Ela se comprometeu em pautar, acho que não vamos ter problema.”

Alguns senadores temem que Davi Alcolumbre, presidente do Senado, entre em campo e pressione nos bastidores para impedir a votação.

“Estamos todos ressacados hoje com a decisão do STF. Os brasileiros, em geral, estão muito tristes e o Senado precisa protagonizar essa solução”, comentou Selma.

A senadora acrescentou que há um entendimento majoritário de que a PEC é o instrumento “mais viável” para resolver essa questão — há na CCJ um projeto de lei de autoria do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) que também trata do tema.

A data da próxima sessão da CCJ está indefinida, em razão da reunião da cúpula do Brics em Brasília na semana que vem.

“Há uma evolução no acordo e temos o compromisso de pautar a PEC na próxima sessão. Espero que os senadores se sensibilizem para votarmos essa proposta o quanto antes.”

Fonte: Antagonista

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios