ColunasDestaqueGeral

O Generalato no Governo Bolsonaro.

Por Carla Pola

Na semana passada o Face me botou de castigo e foi uma semana cheia.

Estou contente por muitas pessoas estarem acordando e aprendendo que os militares não estão acima do bem e do mal.

O caso General Mourão e Carlos Bolsonaro deu o que falar. Porém, só sendo muito cego para não ver que desde os primeiros dias de governo o Mourão se colocava em contradição com o que o Presidente Bolsonaro defende.

Passou a ser o queridinho da imprensa esquerdista, passou a dar declarações contrárias às pautas que elegeram Bolsonaro.
O Bolsonaro é armamentista, Mourão disse que ainda bem que o povo venezuelano estava desarmado, pois teríamos uma guerra civil. Errado: O povo desarmado desde os tempos do mentecapto do Chavez, está morrendo de fome e a bala sem nem ao menos poder se defender. Fica mais fácil para o tirano Maduro fuzilá-los.

Bolsonaro é contra o aborto, Mourão disse que o aborto é caso de saúde pública. Bolsonaro quer levar nossa embaixada para Jerusalém, Mourão disse que essa idéia estava descartada.

Mourão vai a Harvard, junto com o Santos Cruz, num encontro esquerdista, com direito a ter FHC por lá e ainda aceita um convite que o exalta e diminui nosso Presidente. Mas o que ele está pensando??

Para piorar, Levy Fidelix resolveu cooptar parlamentares para o Mourão ter uma base. Pra que um Vice-Presidente quer uma base no parlamento??? Boa coisa não é.

É fato que o generalato brasileiro sempre foi positivista, agora também são fabianos, pois acendem velas para ONU. É fato também que generais se acham a última bolacha do pacote, então como receber ordens de um Capitão??

No fundo eles menosprezam o Bolsonaro, quando deviam ser gratos por ele tê-los tirado do segundo plano e os colocando como pessoas importantes em seu governo. Mas não, pelas costas desfazem ordens do Presidente, o humilham perante a imprensa que quer derrubá-lo.

Concluo que querem sim dar um golpe, como fizeram em 64. O Parlamento tirou o comunista Goulart da Presidência e depois vieram os militares, assumiram e levaram anos para largar o poder; com o agravante que acabaram com a direita brasileira que ficou sem nenhuma representação.

Em 64 usaram o Parlamento, em 2019 querem usar a eleição que elegeu o Presidente Jair Bolsonaro.

Podem começar por um golpe branco, tutelando o Presidente e depois derrubá-lo via Congresso Nacional e colocarem o Mourão no lugar.

Esqueceram os generais que não estamos mais em 64 e o povo brasileiro elegeu o Presidente Bolsonaro e não o Mourão.

Aí vem aqueles com a falácia: Quem elegeu o Bolsonaro, elegeu o Mourão.

Fato. Só tem um detalhe: O Mourão recebeu 58 milhões de votos para ser o que não quer, Vice Presidente. Quem recebeu 58 milhões de votos para ser o PRESIDENTE foi Jair Bolsonaro.

Creio não ser preciso desenhar.

Não queremos que o Mourão saia, só que cale a boca. Que ele não esqueça que jacaré não entrou no céu porque tem a boca grande e quem muito fala, acaba dando bom-dia a cavalo. E, que também pare de conspirar.

Outros dois generais que de minha parte já deveriam ter ganho o olho da rua são os dois vassalos da ONU, Santos Cruz e Floriano Peixoto.

Bolsonaro queria que fechasse a TV traço do governo, Santos Cruz manteve, sabe Deus com que argumento. Floriano Peixoto é vassalo do Soros através do Instituto Igarapé. Não pense ele que engoli aquela declaração idiota.

Santos Cruz mais o Mourão, mandaram outro militar para o MEC para sabotar o novo projeto de alfabetização do Professor Carlos Nadalim, queriam esvaziá-lo.

Santos Cruz está atrasando as propagandas que ajudariam o povo entender a Reforma da Previdência, boicotando a SECOM. Como senão bastasse, ainda vem a público, através da Globo, humilhar o Presidente que não quer mais estatais fazendo propagandas esquerdistas com dinheiro público.

Quanto ao Carlos Bolsonaro, ele fala o que o pai por motivos óbvios não pode falar. O Presidente fala conosco através do filho que acaba levando ataques e mais ataques da imprensa esquerdista.

Outro papo furado é que o Presidente tem que se afastar dos seus filhos e das redes sociais porque ele agora governa para todos.

Primeiro que pais nunca se afastam dos seus filhos, segundo que querem tirar do Presidente o contato com o povo, pois se ele perder o povo a seu lado fica mais fácil derrubá-lo.

O Presidente no fundo deve estar muito triste vendo essas traições de pessoas por quem tem o maior apreço. Não deve ser mesmo fácil.

Outra falácia, os generais são a garantia do governo Bolsonaro. Não são, são a garantia para derrubá-lo e manter a esquerda no poder.

Posso estar vendo coisa, mas lembro quando o Zé Dirceu afirmou que eles iam tomar o poder.

Quem garante que tomar o poder não possa ser através do generalato positivista/fabiano??

Melhor manter um olho no peixe e outro no gato. 😉

Via
Por Carla Pola
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios