DestaquePolítica

Onyx diz que governo quer Previdência aprovada na Câmara até esta quarta

Ministro da Casa Civil se reuniu com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o secretário de Previdência, Rogério Marinho, para traçar estratégia de votação do 2º turno da reforma.

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou nesta terça-feira (6) que o governo espera ter a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados até a noite desta quarta-feira (7).

Onyx deu a declaração após reunião com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na manhã desta terça. O secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, também participou do encontro, que ocorreu na residência oficial da Câmara.

“Desde ontem nós estamos conversando com o presidente da Câmara, do Senado, com os líderes, para tentar no dia de hoje, no dia de amanhã, tentar votar o 2º turno da reforma da Previdência. Nós queremos a nova Previdência, se possível, aprovada até o início da noite de amanhã”, declarou o ministro.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência foi aprovada em 1º turno no plenário da Câmara no início de julho. A proposta ainda precisa ser aprovada em 2º turno antes de ir para o Senado.

Previdência: votação em 2º turno está prevista para começar nesta terça (6) na Câmara

Previdência: votação em 2º turno está prevista para começar nesta terça (6) na Câmara

Madrugada

O ministro prevê o início da votação na noite desta terça e conclusão na noite de quarta. “Devemos entrar num pedaço da madrugada, na noite de hoje e amanhã, ao longo da manhã, tarde, e início da noite, a gente conclui a votação”, disse o ministro.

Onyx disse que espera um 2º turno na Câmara com o número semelhante de votos do 1º turno, que ocorreu no início de julho (. Na ocasião, 379 deputados votaram a favor da proposta.

“Nós queremos repetir, é possível que um ou dois votos, por questões até pessoais dos parlamentares, a gente não tenha, mas vai ter uma votação do mesmo tamanho. Essa é a nossa expectativa”, afirmou Onyx.

O ministro disse, ainda, que espera a apresentação de destaques pela oposição durante a votação da reforma.

“Sabemos que a oposição deverá apresentar uma série de destaques. Nós precisamos organizar toda essa estrutura partidária que dá apoio ao Brasil na aprovação da nova Previdência para que a gente tenha condição de vencer os obstáculos regimentais que vão ser colocados”, disse o ministro.

Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência em primeiro turno

Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência em primeiro turno

Votação na Câmara

A proposta de reforma da Previdência enviada pelo governo em fevereiro ao Congresso prevê uma economia de R$ 1 trilhão em 10 anos.

Por ser uma proposta de emenda à Constituição (PEC), o texto só será aprovado no plenário da Câmara se tiver os votos favoráveis de pelo menos três quintos dos parlamentares, portanto, 308 dos 513 deputados. Se aprovada, a reforma seguirá para o Senado.

A previsão é que a votação da PEC em segundo turno aconteça da seguinte forma:

  • discussão;
  • votação do texto-base;
  • votação dos destaques (propostas para modificar a redação).

Na noite desta segunda-feira (5), Rodrigo Maia reuniu os líderes partidários para articular a votação da reforma.

Partidos aliados ao governo querem manter o texto aprovado em primeiro turno. Deputados de oposição, contudo, querem apresentar sete destaques para tentar modificar a proposta.

A oposição também deve manter a estratégia do primeiro turno, tentando obstruir a votação. A obstrução, conforme o jargão legislativo, ocorre quando um grupo de deputados tenta adiar a votação. A estratégia não é irregular.

Os parlamentares podem pedir, por exemplo, leitura da ata da sessão, retirada do projeto da pauta, adiamento da discussão e votação nominal.

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios