Mundo

Pentágono afirma que Soleimani desenvolvia planos para atacar EUA

Segundo Pentágono, comandante iraniano "orquestrou" ataques em bases de coalizão no Iraque e aprovou os "ataques" na embaixada dos EUA e Bagdá

ataque dos Estados Unidos que matou o comandante da força Quds do Irã, Qassem Soleimani, teve como objetivo impedir futuros planos iranianos de ataques e proteger cidadãos norte-americanos no Oriente Médio, informou o Pentágono.

“Sob a ordem do presidente (Donald Trump), as Forças Armadas dos EUA agiram defensivamente para proteger os cidadãos norte-americanos no exterior ao matar Qassem Soleimani”, afirmou o Pentágono em um comunicado.

“Este ataque teve como objetivo impedir futuros planos iranianos de ataque”, informou, reiterando que os EUA continuarão a tomar as medidas necessárias para proteger seus cidadãos e os interesses em todo o mundo.

De acordo com o Pentágono, Soleimani “orquestrou” ataques em bases de coalizão no Iraque ao longo dos últimos meses e aprovou os “ataques” na embaixada dos EUA e Bagdá, ocorridos no início desta semana.

Uma autoridade norte-americana, que falou na condição de anonimato, disse que o Pentágono estava ciente da possibilidade de uma resposta iraniana, enquanto autoridades militares estavam prontas para se defender.

O senador democrata Chris Murphy disse que, embora Soleimani fosse “um inimigo dos Estados Unidos”, o assassinato poderia colocar mais norte-americanos em risco.

“Uma das razões pelas quais geralmente não matamos autoridades políticas estrangeiras é a crença de que tal ação matará mais e não menos norte-americanos”, tuitou Murphy.

A ex-embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, disse que a morte de Soleimani “deve ser aplaudida por todos que buscam paz e justiça”.

Antes do ataque, o secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, afirmou que havia indícios de que o Irã ou forças que o país apoia poderiam estar planejando ataques adicionais, alertando que o “jogo mudou” e que é possível que os EUA tivessem que tomar medidas preventivas para proteger vidas norte-americanas.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios