Economia

Petrobras vai segurar preço de gasolina e diesel até mercado internacional estabilizar

Bolsonaro telefonou ao presidente da estatal e foi informado de que não haverá repasses imediatos

RIO – A Petrobras não vai reajustar os preços dos combustíveis neste momento. Segundo uma fonte, a estatal vai aguardar a evolução do preço do petróleo no mercado internacional para tomar qualquer tipo de decisão.

O presidente Jair Bolsonaro telefonou para o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, para tratar do assunto e foi informado por Castello Branco de que não haverá repasse imediato no preço dos combustíveis.

O presidente deve abordar o assunto em entrevista à TV Record que será exibida às 21h45.

– A companhia vai aguardar a volatilidade dos preços e tomar uma decisão. A estatal tem mecanismos de proteção, com a sua política de hedge. Além disso, o preço do barril fechou a US$ 68. Por isso, não há nada que justique ainda um aumento – disse essa mesma fonte do setor.

No sábado, dez ataques com drones a instalações de petróleo da Arábia Saudita interromperam a produção em 5,7 milhões de barris por dia, o equivalente à metade da capacidade saudita e mais de 5% do suprimento mundial.

Essa ruptura na produção foi a maior desde o impacto sofrido na invasão do Kuwait pelo Iraque, em 1990, quando os dois países reduziram drasticamente sua produção e o impacto estimado foi de 4,3 milhões de barris de petróleo em corte de oferta.

O ataque evidenciou a vulnerabilidade das instalações de petróleo da Arábia Saudita, o maior exportador do produto no mundo. O uso de novas tecnologias, como os drones, mostrou riscos na segurança que não estavam no radar dos analistas.

Nesta segunda-feira, os mercados reagiram aos ataques com uma disparada nos preços internacionais do petróleo. Depois de ter subido 19,5% durante o dia, chegando a tocar US$ 71,95, o preço do barril do Brent fechou com alta de 14,61%, negociado a US$ 69,02. Este foi o maior ganho percentual em um único dia desde 1988.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios