Polícia

Policia prende 50 pessoas por tráfico, roubos e assassinatos em SC

O juiz Canali destacou a constatação de que a atuação do grupo é sustentada pelo tráfico de drogas, com informações de que endereços residenciais eram utilizados para esconder entorpecentes e armas pertencentes à facção

A Polícia Civil de Santa Catarina prendeu 50 pessoas e apreendeu R$ 1,1 milhão em dinheiro vivo em uma operação realizada nesta quinta, 25, e sexta-feira, 26. Intitulada Operação Network, a ação teve mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos pelo juiz Elleston Lissandro Canali, da Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis. A quebra de sigilo de dados dos investigados e o compartilhamento de provas também foram deferidos. De acordo com os autos, os investigados integram uma organização criminosa dedicada ao tráfico de drogas, roubos e homicídios.

Segundo a Justiça de Santa Catarina, na decisão em que decretou a prisão temporária de 83 suspeitos e buscas em 57 imóveis, o juiz Canali destacou a constatação de que a atuação do grupo é sustentada pelo tráfico de drogas, com informações de que endereços residenciais eram utilizados para esconder entorpecentes e armas pertencentes à facção. Conforme a representação da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, imagens do circuito interno de segurança mostraram um indivíduo, que seria integrante da mesma organização, deixando uma mala e caixas no local onde os valores foram encontrados. Interceptações telefônicas permitiram que a polícia avançasse nas investigações.

“Ao que tudo indica, os representados estão amplamente envolvidos em tal contexto criminoso, circunstância que só poderá ser mais bem esclarecida se deferida a medida pleiteada, justificando o expediente excepcional em viabilização direta da investigação criminal, a qual não tem outra função senão a tutela da ordem pública, já tão maculada pela reiterada e disseminada prática da comercialização de substâncias entorpecentes”, escreveu o magistrado no despacho que decretou as prisões.

De acordo com informações da justiça catarinense, as prisões temporárias, cumpridas nesta quinta-feira, têm prazo de 30 dias, prorrogáveis por mais 30, desde que comprovada a necessidade. Já a ação desta sexta-feira, que resultou na apreensão da quantia milionária em um imóvel de São José, teve origem em um novo mandado de busca, expedido no dia anterior. A investigação está em sigilo por conter informações relacionadas a interceptações telefônicas.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios