Lava JatoPolícia

Polícia prende suspeitos de traficar cocaína para a Europa e apreende aviões, carros de luxo e R$ 570 mil

Operação Icarus foi realizada em Goiás, Pará e São Paulo. Apuração começou após sumiço de piloto. Segundo a investigação, detidos tinham vida de ostentação.

A Polícia Civil de Goiás desarticulou, nesta sexta-feira (9), um grupo suspeito de atuar no tráfico internacional de drogas. A operação, batizada de Icarus, resultou na prisão de seis pessoas – uma está foragida – e apreensão diversos bens. A investigação começou após o sumiço de um piloto, em dezembro do ano passado.

Conforme os policiais, o esquema exportava, por mês, cerca de 500 kg de cocaína para países da Europa. Além disso, segundo os investigadores, os integrantes da organização criminosa tinham uma vida de muito luxo e ostentação.

Foram apreendidos durante a ação:
2 jatos executivos;
1 helicóptero;
11 carros de luxo;
8 relógios suíços;
1 moto náutica;
R$ 571 mil em notas de reais, dólares e euros.
Ao todo, foram cumpridos 20 mandados de busca e apreensão. As prisões ocorreram em Goiás, Pará e São Paulo. No estado do Sudeste, inclusive, ocorreu a detenção de um holandês radicado no Brasil e considerado o chefe do grupo.

Um dos aviões apreendidos durante a operação: grupo fazia transporte de drogas para a Europa — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Um dos aviões apreendidos durante a operação: grupo fazia transporte de drogas para a Europa — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Esquema

De acordo com as investigações, o grupo contratava pilotos para atuarem no transporte das drogas. Eles voavam para países vizinhos, como Bolívia, Colômbia e Peru, pegavam os carregamentos e entregavam em Goiás e no Pará, num trajeto conhecido, no âmbito do tráfico de drogas, como “rota caipira”. Posteriormente, a droga era levada para a Europa.

“Daqui [de Goiás] a droga é preparada para ser enviada, principalmente para a Holanda, França, Bélgica e Alemanha, por meio de produtos destinados à exportação como granito, mármore e até gêneros alimentícios. Tem registro deles levando essa droga em cargas de açaí, por exemplo”, explica o delegado Thiago Martimiano, que chefiou a operação.

Veja Também: Líder do PCC diz que facção dialogava com o PT

Segundo a polícia, as viagens eram realizadas de forma a tentar burlar o monitoramento das aeronaves. Para isso, os aviões eram modificados para ter mais autonomia. Além disso, sobrevoavam a uma altura extremamente baixa para fugir do controle aéreo.

Onze carros de luxo foram apreendidos durante a operação — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Onze carros de luxo foram apreendidos durante a operação — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Vida de luxo

O delegado-geral da Polícia Civil de Goiás, Odair José, disse que o grupo transportava cerca de meia tonelada de droga por mês.

Veja também: Sérgio Chapelin deixa o Globo Repórter

“A gente tem a noção que eles exportavam cerca de 500 kg de cocaína por mês. Estamos falando de cerca de R$ 40 milhões. Ou seja, em uma única carga eles poderiam comprar todas as aeronaves que aqui estão. Então, o importante, mais que a apreensão de todos esses bens, é a desarticulação da logística deles”, avalia.

Sumiço de piloto

A polícia revelou que a investigação começou a partir da apuração do sumiço do piloto Bruce Lee Carvalho dos Santos, que desapareceu no dia 12 de dezembro do ano passado. Ele é irmão de Mohammed d’Ali, que foi condenado por matar e esquartejar o corpo da inglesa Cara Marie Burke, em 2008, em Goiânia.

Segundo a polícia, Bruce Lee transportava drogas em um avião pertencente ao grupo. Inclusive, o delegado suspeita que a aeronave que ele pilotava caiu em um lago, na Bolívia, durante uma dessas viagens. Apesar disso, ele e a aeronave nunca foram localizados.

“Investigando esse desaparecimento, descobrimos que ele estava voando para o tráfico de drogas com uma aeronave que também está desaparecida desde dezembro de 2018 e acreditamos que ele tenha se acidentado, de fato, com essa aeronave na Bolívia”, disse o delegado Thiago Martimiano.

veja também: PF realiza nova operação contra facção criminosa em 4 estados

Polícia apreendeu R$ 570 mil em espécie e relógios de luxo suíços — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Polícia apreendeu R$ 570 mil em espécie e relógios de luxo suíços — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios