Notícias

Policial consola motorista de ônibus após acidente que matou mulher em moto: ‘Me coloquei no lugar dele’

Vítima, que estava na garupa da moto, caiu e foi atropelada pelo ônibus em Bauru (SP). Motorista ficou em choque após acidente e foi consolado pelo PM, que fazia o atendimento da ocorrência.

Com quase 20 anos de experiência em suas profissões, um policial militar e um motorista de ônibus protagonizaram uma cena emocionante durante o atendimento a um acidente grave em Bauru (SP) nesta semana.

Veja também: Procurador da segunda instância muda de avaliação sobre ordem de apresentação de alegações finais e critica ética da defesa do ex-presidente

Um motociclista trafegava pela região central quando bateu na lateral de um ônibus e a garupa caiu. A mulher, de 31 anos, acabou sendo atropelada pelo veículo e morreu no local.

Quando o cabo André Gustavo Ferreira da Silva chegou ao local do acidente, encontrou o motorista, Rogério Antônio Souza, sentado no chão do ônibus, em prantos. O policial chamou o motorista pelo nome e o abraçou, em uma cena que causou comoção.

A atitude de empatia do policial recebeu várias mensagens de apoio e elogio.

“Nós chegamos no local para atender uma ocorrência de gravidade, já sabíamos que o Samu estava no local e tinha constatado um óbito e o motociclista estava sendo atendido, então eu fui procurar o motorista do ônibus e me deparei com a situação dele, sentado no assoalho do ônibus chorando. Minha primeira reação foi tentar trazê-lo à realidade, eu chamei ele pelo nome três vezes, para ele sair dessa situação, se levantar”, conta o cabo da PM.

“A gente aprende desde pequeno aquela máxima de amar ao próximo como a si mesmo. E eu me coloquei no lugar dele, da cena que ele viu quando saiu do ônibus após o acidente, ele estava muito abalado e perdido.”

“A primeira coisa que senti no meu coração foi que ele precisava disso, daquele momento do abraço, do aperto de mão e de uma palavra de consolo”, completa.

Veja também: Sem assinatura digital, partido de Bolsonaro aposta em biometria

André conta ainda que ficou pouco mais de um minuto abraçado com o motorista até ele parar de chorar e ele perceber que a situação estava mais controlada. Segundo o policial, a maior preocupação do motorista era com as vítimas do acidente.

“Ele falava o tempo todo a moça morreu, queria saber como o motociclista estava. A gente é motorista também, sabe como é, estamos sujeitos a isso e foi uma fatalidade. Tentei na conversa deixar isso claro para ele, que foi uma fatalidade, que foi muito triste, mas que ele não tinha culpa.”

Ainda segundo o policial, apesar de já ter atendido inúmeros casos de acidente, inclusive com mortes, essa ocorrência foi bastante especial. “Porque foi no centro da cidade e tinham tantas pessoas ali que poderiam ter essa atitude, mas estavam ali em silêncio, só olhando e eu vi que tinha que tomar alguma atitude, mesmo fardado, fazendo o meu trabalho. Então foi muito emocionante e algo que eu vou guardar para sempre.”

Polícia Militar compartilhar a imagem do abraço nas redes sociais — Foto: Facebook/ reprodução

Polícia Militar compartilhar a imagem do abraço nas redes sociais — Foto: Facebook/ reprodução

O motorista conta que nesses quase 20 anos de profissão nunca tinha se envolvido em um acidente assim. Rogério afirma que ficou em choque e a atitude do policial o ajudou naquele momento de desespero.

Veja também: Casa mais cara do Brasil é colocada à venda em condomínio do Leblon

“Eu estava ali desolado, muito triste pelo o que tinha acontecido, embora tenha sido uma fatalidade, não tenha tido culpa, eu fiquei muito abalado, estava preocupado com as vítimas. E ele se aproximou, conversou comigo, deu uma palavra de carinho, o abraço. Só posso dizer que sou muito grato”, desabafa.

“Antes de chegar o pessoal do operacional da empresa, para dar o auxílio, a pessoa que estava ali era o policial, ele ficou sensibilizado com a situação, me ajudou. Eu tenho muito a agradecer.”

Rogério diz que aos poucos está tentando voltar a rotina de trabalho, mas que ainda está muito triste com a situação. “Estou voltando a ativa aos poucos. Até hoje ainda é complicado, eu fiquei muito triste com a situação, com o rapaz, o motociclista, a moça tão nova, não tenho nem palavras nesse sentido”, afirma.

Veja também: Casa mais cara do Brasil é colocada à venda em condomínio do Leblon

Para o policial, a repercussão de uma atitude simples mostra o quanto as pessoas estão carentes de cuidados umas com as outras.

“Foi uma situação muito especial e acredito que tudo tem um propósito. Pela repercussão das postagens na internet a gente vê que as pessoas estão carentes de compartilhar momentos como esses”, finaliza.
Empresa de ônibus também compartilhou e agradeceu a atitude do policial  — Foto: Facebook/ reprodução

Empresa de ônibus também compartilhou e agradeceu a atitude do policial — Foto: Facebook/ reprodução

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios