ColunasDestaqueGeral

Por Carla Pola

Ponerologia - O Estudo do Mal na Política.

Como muitos, fui idiota útil por muito tempo, sem saber que era uma idiota útil, portanto era a melhor das idiotas utilizada por mentes nefastas.

Quando comecei a estudar política, pois a entendia só de forma superficial, o véu da verdade foi abrindo, aos poucos, como deve ser.

Nos anos de Orkut, fui aprendendo o que era esquerda, direita, Geopolítica e muito mais coisas com amigos, lendo livros e conheci o Professor Olavo de Carvalho que rasgou o véu pra valer e assim eu percebi minha total ignorância no assunto.

Antes dos livros, devorei o site dele. Todos os dias eu lia alguns textos e minha compreensão de mundo aumentava.

Confesso que fiquei muito zangada quando descobri que “meu professor de história mentiu pra mim”, professores que me fizeram acreditar que os ídolos do comunismo eram maravilhosos, humanitários e que desejavam uma sociedade boa para todos. Como todo adolescente, eu também era tola e facilmente manipulável.

Também confesso que algumas coisas que me eram ditas e explicadas batiam de frente com os valores morais que aprendi em casa.

Por mais que tentassem, jamais deixei de acreditar em Deus, amar Jesus e ter fascínio por Nossa Senhora. O ateísmo que vinha dessas explicações sempre me deixaram desconfiada.

Bem como a conversa que “às vezes” era preciso matar o “Inimigo burguês” que atrapalhava o caminho para uma sociedade perfeita onde não haveria fome, todos teriam uma casa para morar, saúde de primeira qualidade e todos estaríamos felizes porque o mal do mundo acabaria. Esses burgueses nos faziam de escravos para enriquecerem e manterem o povo pobre (Na época não sabia que o Mal eram eles). Mas, matar não me entrava na mente. Pelos meus valores, vida e morte são questões de Deus, fora da alçada humana.

E assim passei a adolescência e juventude em permanente confronto interno, meus valores morais contra esses “valores novos” que fariam todos “felizes”.

Mas, a vida, maior professora que temos foi me mostrando com o tempo que certas coisas que eu aprendi com os comunistas não fechavam no dia-a-dia. Por isso, quando através da internet e dos livros fui descobrindo o quanto essa gente é mentirosa, que o que defendem não se sustenta, que não estão nem aí para a vida de ninguém e só em busca de poder a fim de satisfazerem seus prazeres, mesmo que isso signifique matar milhões de pessoas, vi o quanto de mal me fizeram em minha adolescência e juventude.

Disposta a impedir que o mesmo acontecesse a meus filhos, estudei ainda mais. Não permitiria que meus filhos caíssem nessa armadilha que tanto eu, como o pai, havíamos caído.

Lá pelas tantas eu já compreendia a guerra cultural, me descobri conservadora, compreendia a política geopolítica e coisa e tal, mas algo não saía da minha cabeça.

Tudo que eu tinha estudado não explicava como pessoas que sabiam que o comunismo era cruel e genocida continuavam defendendo esse tipo de coisa após conhecer a verdade??

Cheguei a conclusão que essas pessoas não eram normais, mas não sabia que tipo de patologia apresentavam. Pareciam hipnotizadas diante da mentira que acreditavam ser verdade.

Um belo dia, havia acontecido um crime, não lembro agora onde; mas lembro que alguém havia matado e esquartejado alguém, falavam em serial Killers e fui pesquisar a respeito, pois sempre fico chocada com essas coisas.

Até então, ignorante de tudo nessa área, quando se falava em psicopatas na hora eu pensava sem serial Killers.

Achei um blog de um Psiquiatra argentino, não lembro o nome, mas ele era especialista em psicopatia e comecei a ler. Quase caí da cadeira quando ele explicava que os psicopatas estão no meio de nós. Que não há tipos de psicopatias, mas graus de psicopatias e que psicopatas se apresentam de várias formas. Continuando o texto ele dizia que podíamos encontrar psicopatas em lugares de poder, portanto o meio político é recheado deles (nessa hora minha mente parou e ali estava a explicação que eu vinha buscando para os comportamentos absurdos que via). Ele deixava claro que o serial Killers é o grau máximo da psicopatia, mas fosse no grau que fosse, ninguém que convive com um psicopata sai ileso. Ele sempre trará dor e sofrimento às pessoas normais e nunca se importarão com isso, pois só se importam consigo mesmos.

O sintoma principal do psicopata é a total falta de empatia, são incapazes de perceber e compreender os sentimentos das pessoas a sua volta. Ele é 100% racional. Ele não é um louco, pois sabe o que é certo e errado, compreende os sentimentos intelectualmente, mas ele não sente; mas fingirá que sente se isso lhe trouxer prazer, satisfação e poder. Algumas características deles são:

– Encanto superficial. Possuem lábia e manipulam as pessoas para atingir seus objetivos.

– Mentiras sistemáticas – Os psicopatas utilizam as mentiras como instrumento de trabalho. Fingem se sentir magoados, arrependidos e fazem um teatro tão bom que as pessoas acreditam.

– Ausência de sentimentos afetuosos – Os psicopatas não dão a mínima para o sentimento dos outros, só se preocupam consigo mesmos. Seus comportamentos só visam atingir seus fins, não importa se para isso prejudicarão outras pessoas. As pessoas para os psicopatas são usadas e mais nada.

– Comportamentos impulsivos – Como não possuem moralidade e é ética seu comportamento torna-se abrupto, na maioria das vezes tendo um reação violenta com um estímulo bobo. É o tipo “fazer tempestade num copo d’água”.

– Incorrigibilidade – Carecendo de moralidade, carece de culpa, portanto não se preocupa com o sofrimento do outro. Assim sendo, não compreende o porquê de ter que se corrigir. Mas, como hábeis na manipulação, conseguem enganar pessoas mostrando-se educados, exemplares, amáveis e prestativos.

– Falta de adaptação social – O psicopata é egocêntrico e egoísta, apenas o bem-estar e o sofrimento próprio importam. Dificuldades em socializar e fazer amigos, devido a se centrar excessivamente em si próprio. Mas, como podem fingir muito bem para atingir seus objetivos, podem se mostrar as pessoas mais sociáveis do mundo.

Bom, óbvio que só aquele texto do Psiquiatra argentino não explicaria tudo a respeito da psicopatia e dos psicopatas na política.

Mas, logo em seguida, alguns meses depois, num True Outspeak do Professor Olavo de Carvalho , ele falava sobre PONEROLOGIA (o estudo do mal voltado à política); ou seja, psicopatas no comando de uma nação. E avisou que o livro estava sendo traduzido.

Quando saiu o livro traduzido em português, não tive dúvida e comprei. Devorei o livro, o que restava do véu a ser desvendado, foi desvendado ali.

Esse livro foi escrito pelo Dr Andrew Lobaczewski, Um homem que viveu dois regimes comandados por psicopatas: O Nazismo e o Comunismo. E para não enlouquecer estudou a psicopatia na política. Conforme o Dr. Lobaczewski:

“No psicopata, um sonho emerge como um tipo de utopia de um mundo “feliz” e de um sistema social que não os rejeite, nem os force a se submeter a leis e costumes cujo significado é incompreensível para eles. Eles sonham com um mundo no qual seu modo simples e radical de experimentar e perceber a realidade fosse o modo dominante, onde eles poderiam, é lógico, garantir segurança e prosperidade. Nesse sonho utópico, eles imaginam que aqueles ‘outros” (normais), diferentes, mas também tecnicamente mais habilidosos que eles, deveriam ser colocados para trabalhar de forma a atingir esse objetivo para os psicopatas e outros do seu tipo. ‘Nós”, eles dizem, afinal de contas, criaremos um governo de justiça. Eles são preparados para lutar e para sofrer pelo bem desse novo mundo corajoso e, também, matar as pessoas, cujo sofrimento não lhes causa compaixão, porque ‘eles’ não são exatamente da mesma espécie. Eles não percebem que encontrarão, consequentemente, uma oposição que poderá permanecer por gerações.
Subordinar uma pessoa normal a indivíduos psicologicamente anormais traz consequências graves e deformantes a sua personalidade: gera trauma e neuroses.”

Mas todos os políticos são psicopatas?? Claro que não! E deve ser difícil para eles viverem com seus colegas psicopatas, seja lá o grau de psicopatia apresentada.

O caso é que quando esses psicopatas chegam ao poder, começam a moldar a sociedade conforme sua visão deturpada de mundo. Psicopatas querem o poder e não querem largá-lo. A sociedade ideal é para eles e não para o restante. As sociedades governadas por psicopatas, assumindo o controle das pessoas, o Dr. Lobaczewski chama de PATOCRACIA.

Podem acreditar que é disso que estamos tentando nos livrar, meus amigos. Fomos governados por psicopatas por mais de 30 anos. Essa corrupção generalizada que vivemos e está sendo descoberta mostra bem isso. As mudanças de valores que há anos vão nos enfiando goela abaixo mostra isso. As loucuras que assistimos todos os dias, a ponto de vermos um padre (só para dar um exemplo), exaltar a maconha e convocar os fiéis para a marcha da maconha mostra o quanto demoraremos para tirar esses psicopatas do poder.

Psicopatas precisam de governos totalitários e ditatoriais para fazer seus poderes valer, nunca se adaptariam em uma democracia, mesmo que para atingirem seu real objetivo, mintam de forma convincente que prezam pela democracia, ética e moral desde o berço.

Mas, nessa leva toda todos são psicopatas???

Não. Os psicopatas precisam das pessoas normais para chegar ao poder e para isso formam uma fábrica de histéricos.

Pessoas com mentes menos ativas são presas fáceis, conseguem ir se adaptando às novas regras e valores. Como diz o professor Olavo, “o histérico não diz o que sente, mas passa a sentir aquilo que disse”. As presas mais fáceis são os jovens, como estão em formação, muitos são levados a acreditar nessas ideologias nefastas e se quisermos trazê-los de volta a realidade, sentem-se ameaçados, agredidos.

O psicopata vê as coisas em preto e branco, os histéricos não, eles enxergam as cores e os psicopatas precisam manipulá-los para usar as cores que não enxergam. Os histéricos imitam o comportamento psicopático, praticamente hipnotizados e cegos a realidade.

Por isso vemos pessoas berrando “Lula Livre” e, por mais que se tente mostrar que o Lula foi condenado porque roubou, mentiu enganou, que só se preocupava em ter o poder, se preocupando consigo mesmo, essas pessoas não acreditam. Há histéricos no poder também, eles precisam estar lá para defender o governo nefasto dos psicopatas.

A Venezuela vive hoje as consequências de ter eleito psicopatas como Chavez e Maduro e, quando pessoas normais acham o que acontece lá é uma perversidade, psicopatas políticos e histéricos no Brasil defendem tamanha insanidade.

Por que faço um texto tão longo, praticamente didático sobre isso?? Porque através dos meus estudos descobri que não basta conhecermos contextos políticos, conceitos, viver a política do dia-a-dia sem compreender a natureza humana dos que nos governam. E isso em todos os âmbitos do poder. Pois, em todos eles há psicopatas e histéricos.

Nós precisamos neutralizar essas pessoas, impedí-las de chegar a lugares de mando, precisamos sair da Patocracia. Já demos um passo pra isso elegendo o Presidente Bolsonaro, mas ainda há muitos deles no poder (Congresso Nacional, Judiciário, Ministério Público, Prefeituras, Estados) e sem sanear a influência má e nefasta dessas pessoas, ainda corremos muitos riscos.

Países como a Polônia e a Hungria que viveram anos sendo governados por psicopatas e histéricos vêm cortando qualquer possibilidade de ideologias nefastas recobrarem o poder.

Precisamos limpar o Brasil também e impedir que esses políticos que acendem velas para genocidas voltem ao poder. Não é tarefa fácil. Uma vez os psicopatas instalados no poder, para tirá-los dá um trabalho hercúleo. Os venezuelanos que o digam!

Mesmo pessoas normais acabam tendo algum tipo de contaminação em processos assim. Eu mesma levei tempo para me limpar dessa contaminação, pois acabamos nos condicionando. Vou dar um exemplo:

Canso de explicar que ideologia de gênero não existe. Gênero não é e nunca será sinônimo de sexo. Pois muito bem, vejo pessoas da direita usando a expressão gênero para falar de sexo. Isso é condicionamento e quando fazemos isso, mesmo que de forma inconsciente, estamos fortalecendo essa causa absurda, portanto fortalecendo psicopatas e histéricos.

Mesma coisa com o tal feminicídio. Sei lá se esses celerados acham que homicídio é assassinato de homens, mas na verdade homícídio é matar alguém da nossa espécie, do gênero HUMANO, portanto tanto faz que seja homem ou mulher.

Mas, pessoas de direita usam essa expressão (feminicídio) e quando fazem isso mais fortalecem a loucura.

Vou ficando por aqui. Mas sugiro estudarem mais a respeito para compreender melhor o mundo e a política que vivemos.

Lembrando o Professor Olavo de Carvalho:

“Nada que se diga contra os comunistas é discurso de ódio.
Porque eles não são só os donos absolutos do discurso de ódio, mas da prática do ódio assassino!”

Via
Por Carla Pola
Tags

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios