Política

Prefeitura de SP vê falhas em 116 creches com desvios de R$ 10 mi

Neste ano, as investigações já causaram, diz a gestão, o descredenciamento de três entidades que administram, ao todo, 12 creches. Órgão muda regras

Sob a gestão do tucano Bruno Covas, a Prefeitura de São Paulo informou nesta sexta-feira (18) que identificou supostas irregularidades em 116 creches, com desvios de quase R$ 10 milhões.

Veja também: Incêndio na Whiskeria Quatro por Quatro mata 3 bombeiros que combatiam o fogo

A administração, por meio da Secretaria Municipal de Educação e em parceria com a Controladoria Geral do Município, está realizando uma auditoria e já identificou 116 creches com irregularidades na prestação de contas e fraudes previdenciárias. Representadas por 35 entidades, os Centros de Educação Infantil terão o prazo de cinco dias úteis para apresentarem as respectivas defesas.

Segundo o órgão, a estimativa é que o valor equivalente à diferença entre o declarado em prestação e contas e o efetivo recolhido pelas organizações demonstra possível ato ilícito de quase R$ 10 milhões.

Veja também: Mulher é presa na BA após fugir quando juiz a condenava a 77 anos de prisão por mortes em acidente

“Não podemos tolerar qualquer tipo de desvio, ainda mais quando se fala de creches municipais”, argumentou Covas. “Esses recursos poderiam ser utilizados, inclusive, para ampliar o número de creches.”

Neste ano, as investigações já causaram, diz o órgão, o descredenciamento de três entidades: Águas Marinha, Associação Beneficente Comunitária Pequeno Vencedor e Associação Beneficente Movimento das Mulheres da Cidade Tiradentes – juntas, administravam 12 creches.

A administração vem alterando os critérios para que entidades estabeleçam parcerias com o município e passem a cuidar das creches. Agora, por exemplo, as parceiras precisarão entregar inscrição no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cmdca), título de utilidade pública municipal e mínimo de 24 meses de atividade. As regras começam a vigorar ainda neste ano.

Veja também: juiz Friedmann suspende processo contra Deltan Dallagnol

Via
R7
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios