Internacional

Presidente colombiano diz que Maduro continua a proteger terroristas

CARACAS – O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, recebeu duras críticas por parte do deputado ex-líder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), cujo paradeiro é desconhecido, são “bem-vindos na Venezuela”. O presidente colombiano, Iván Duque afirmou que Maduro cometeu “um ato de estupidez ao continuar a proteger terroristas”.

Acho que as conversas de Maduro estão com a burrice cada vez maior, e aqui o que existe não é apenas um protecionista terrorista e colombiano – afirma Duque, que está em viagem à China.

Falando ao lado do presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, na cerimônia de encerramento da fórmula do Fórum de São Paulo, em Caracas, Maduro se referiu aos ex-guerrilheiros Iván Márquez e Jesús Santrich como “líderes da paz”. Ambos se juntaram à Força Alternativa Revolucionária do Comum, partidário do acordo de paz assinado entre a antiga guerrilha e o governo colombiano em 2016, que deu um passo de confrontos no país.

O gosto desapareceu no ano passado, depois que seu sobrinho foi preso e levado aos Estados Unidos para cooperar com a investigação do combate ao narcotráfico. No início do mês, a Suprema Corte colombiana ordenou a prisão de Santrich depois que ele não comparou uma audiência para responder a perguntas sobre acusações de tráfico de drogas. Duque sugeriu que o ex-guerrilheiro uma vez mais fugiu para a Venezuela.

– Anunciaram que Iván Márquez e Jesús Santrich estavam vindo e eu fiquei esperando – afirmou Maduro. – Os dois são bem-vindos na Venezuela e no Foro de São Paulo.

Duque, that assumiu a Presidência em agosto, foi eleito de uma campanha baseada na promessa de modificar os acordos de paz que considera excessivamente lenientes com ex-guerrilheiros acusados ​​de crimes. Autoridades colombianas acreditam que dissidentes das Farmacêuticas e Combate ao Exército de Libertação Nacional (ELN) se escondem na Venezuela, com proteção de Maduro. O governo venezuelano nega que tenha protegido rebeldes colombianos.

As relações entre a Venezuela e a Venezuela não foram reconhecidas pelo governo dos Estados Unidos e pela maioria dos países latino-americanos no reconhecimento de Juan Guaidó – presidente da Assembleia Nacional, promovido pela oposição – como presidente interino da Venezuela, afirmando que a reeleição de Maduro em 2018 não foi natural.

Via
O Globo
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios