DestaqueGeralPolítica

Previdência: parecer deve ser entregue à CCJ do Senado hoje com mudança em regra de pensão

Ideia é que benefício não seja inferior a um mínimo. Relator deve propor ainda inclusão de estados e municípios na reforma

BRASÍLIA — O relator da reforma da Previdência no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE), fará pelo menos três modificações no texto aprovado pela Câmara dos Deputados. Segundo técnicos a par das discussões, as mudanças sugeridas no parecer que o relator entregará nesta terça à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) envolvem o sistema de aposentadorias de estados e municípios, além de mudanças no sistema de pensão por morte.

As mudanças feitas por Jereissati são: inclusão de estados e municípios, mas com a exigência de que os governos regionais aprovem leis especificas nas assembleias e Câmaras, sem um prazo definido; modificação nas regras da pensão por morte, para garantir que esse tipo de benefício não possa ser inferior ao salário mínimo; e criação de regra de transição para idade mínima para trabalhadores que lidam com atividades nocivas à saúde, como mineiros, por exemplo.

 

O senador deverá entregar o relatório hoje ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). O documento será protocolado na CCJ.

Redução de R$ 139 bi na economia
O texto aprovado na Câmara dos Deputados representava uma economia de R$ 933,5 bilhões em dez anos. Se forem feitas mudanças nas regras de pensão, o impacto seria de R$ 139,3 bilhões. A mudança na regra de pensão foi um dos tópicos que exigiu maior mobilização do governo para obter a aprovação dos parlamentares.

As mudanças farão parte de uma proposta de emenda à Constituição autônoma (PEC paralela) para evitar atrasos na tramitação da reforma no Congresso. A leitura na CCJ está prevista para amanhã.

Tasso está finalizando o relatório com a equipe de técnicos e representantes da equipe econômica, com base nas 130 emendas encaminhadas pelos senadores para modificar o texto aprovado pela Câmara dos Deputados.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios