Mundo

Príncipe Harry e Meghan Markle deixam família real depois de rainha recusar ‘meio do caminho’ e ainda cobra 2,4 milhões de libras

Rainha parece discordar de saída 'progressiva' anunciada pelo neto e por sua mulher, mas casal não deve ter dificuldades para obter a almejada 'independência financeira'; veja números

O príncipe Harry e Meghan Markle abriram mão do título “sua alteza real” depois de a rainha Elizabeth II recusar a ideia de “meio do caminho”. Como o casal passará a maior parte do tempo na América do Norte, a monarca, segundo o jornal britânico “The Mirror”, decidiu que eles não irão representá-la mais em viagens ao exterior e que o neto deveria renuncia a deveres militares.

De acordo com a publicação, a rainha foi bem clara: “Ou eles estavam dentro ou fora”. Pelo visto, escolheram não fazer mais parte da realeza. Consequentemente, não receberão mais fundos públicos e ainda irão devolver 2,4 milhões de libras usadas na reforma de Frogmore Cottage, a casa de Windsor que continuarão usando no Reino Unido.

Como um sinal de que pretendem manter o duque e a duquesa de Sussex próximos, o acordo serã revisto dentro de um ano. E mais: oficialmente, eles ainda têm o título de “sua alteza real”.

Entenda o caso

Como um sinal de que pretendem manter o duque e a duquesa de Sussex próximos, o acordo serã revisto dentro de um ano. E mais: oficialmente, eles ainda têm o título de “sua alteza real”.

Harry e Meghan anunciaram, em 8 de janeiro, em seu perfil no Instagram, que eles se dividirão entre Reino Unido e a América do Norte em 2020. O anúncio veio depois de especulações da imprensa britânica de que o casal abdicaria de seus títulos reais e se mudaria definitivamente para o Canadá por estar sendo deixado de lado pela família real.

No comunicado, Harry e Meghan afirmam que serão financeiramente independentes e não mais “membros seniores” da família. A decisão, garantiram, foi tomada após meses de reflexão. “Pretendemos dar um passo atrás como membros “seniores” da família real e trabalhar para nos tornar financeiramente independentes, enquanto continuamos a apoiar totalmente Sua Majestade a Rainha”, afirmaram no comunicado. Na prática, os dois abrirão mão do protocolo real, ou seja, de acompanhar Elizabeth II em eventos oficiais.

Aos 35 anos, Harry é o sexto na linha de sucessão ao trono, atrás de seu pai, o príncipe Charles, seu irmão, William, e dos sobrinhos, George, Charlotte e Louis. O príncipe é casado com Meghan Markle desde maio de 2018 e eles têm um filho, Archie Harrison, que nasceu um ano depois. O menino, no entanto, não usa nenhum título por desejo expresso dos pais.

Sobre dividirem-se entre os dois países, declararam:”Esse equilíbrio geográfico nos permitirá apreciar nosso filho com a tradição real em que ele nasceu, além de proporcionar à nossa família o espaço para se concentrar no próximo capítulo, incluindo o lançamento de nossa nova entidade beneficente.

Meghan morou no Canadá por sete anos antes de conhecer o príncipe e se sente em casa no país. Um amigo afirmou ao The Sun que “eles gostaram muito do Natal e do Ano Novo lá, quando não foram fotografados nenhuma vez e foram deixados em paz”.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios