Internacional

Prisões na fronteira dos EUA com o México somam quase um milhão em um ano

No exercício 2019, encerrado em setembro, 977.509 pessoas foram detidas na fronteira sul, um aumento de 88% em relação a 2018. Após pico em maio, números caíram depois de acordos de migração com México, Guatemala, Honduras e El Salvador.

Agentes norte-americanos detiveram quase um milhão de migrantes na fronteira com o México nos 12 meses encerrados em setembro – disse nesta terça-feira (8) o comissário interino do Escritório de Alfândega e Proteção de Fronteiras (CBP), Mark Morgan.

Veja também: Homem de 79 anos pode ser o maior ‘serial killer’ de todos os tempos dos EUA

No exercício 2019, encerrado em setembro, a alfândega e proteção de fronteiras (CBP) prendeu 977.509 pessoas tentando entrar no território dos Estados Unidos pela fronteira sul. A última vez que esse número se aproximou de 1 milhão foi em 2006.

“As ações de reforço do CBP na fronteira sudoeste totalizaram quase um milhão no ano fiscal de 2019 (que ocorre de outubro a setembro), o que representa um aumento de 88% em relação às ações de 2018”, disse Morgan aos jornalistas na Casa Branca.

O aumento ocorre em meio a esforços do presidente Donald Trump para impedir a imigração irregular, que começam a mostrar resultados nos últimos quatro meses, quando as detenções começaram a diminuir.

O diretor interino do CBP, Mark Morgan, disse em entrevista coletiva na Casa Branca que o número de migrantes presos caiu para pouco mais de 52 mil em setembro, o menor valor mensal em um ano.

Veja também: Homem de 79 anos pode ser o maior ‘serial killer’ de todos os tempos dos EUA

Esse número representa “uma queda de cerca de 65% em relação ao pico de maio de 144 mil”, disse Morgan.

Após o número registrado em maio – um recorde em 13 anos -, os Estados Unidos assinaram acordos com México, Guatemala, Honduras e El Salvador para interromper a migração irregular. Depois disso, o nível de detenções começou a diminuir.

“O CBP continua a colaborar com nossos parceiros estrangeiros, especialmente México, El Salvador, Guatemala e Honduras, para tratar disso como uma crise regional”, afirmou Morgan.

O governo Trump ordenou que os solicitantes de refúgio, que antes podiam permanecer em território dos EUA até que o caso fosse resolvido, agora precisam aguardar a resolução de pedidos no México, em uma medida questionada pela justiça.

Além de restringir a capacidade dos migrantes de solicitar refúgio, a Casa Branca continua pressionando para construir um muro ao longo da fronteira de 3.200 quilômetros com o México, a principal promessa eleitoral de Trump.

Veja também: Petrobras recolhe mais de 133 toneladas de resíduo oleoso de praias

Para isso, o Executivo desviou fundos do Departamento de Defesa para a construção de mais cercas depois que o Congresso se recusou a fornecer o orçamento necessário para o muro.

Morgan disse que até agora 114 km da nova barreira foram erguidos, de um total de 720 km que deve ser concluído até o final de 2020.

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios