Justiça

Procurador do “miserê” recebeu R$ 124 mil em dois meses de trabalho

Em setembro deste ano, membro do Ministério Público de Minas Gerais reclamou do salário de R$ 24 mil e disse que não consegue viver com o valor

O procurador de Justiça que se tornou notícia nacional ao chamar de “miserê” o salário de R$ 24 mil que recebe pelo cargo no Ministério Público de Minas Gerais teve o contracheque registrado com R$ 124.710 nos meses de agosto e setembro deste ano.

O valor bruto é referente ao salário base de Leonardo Azeredo dos Santos somados a indenizações e verbas indenizatórias.

Em setembro deste ano, o procurador desabafou em uma reunião interna do órgão sobre o que ele chama de “baixos salários” dos membros do MP no Estado. Durante uma reunião, o membro do órgão pediu para falar e reclamou que está diminuindo o gasto de R$ 20 mil mensais de cartão de crédito por causa dos rendimentos e pediu ao Procurador-Geral de Justiça que utilizasse da sua “criatividade” para melhorar a situação financeira da categoria.

“Como é que o cara vai viver com R$ 24 mil? O que é que nós vamos fazer para melhorar a nossa remuneração?”, perguntou durante o encontro. Em outro momento da reunião, o procurador do MP mineiro chama de “miserê” o salário de R$ 24 mil.

A reportagem procurou o Ministério Público para comentar a origem das indenizações recebidas pelo procurador em agosto e setembro, mas ainda aguarda retorno. A reportagem tenta contado com o procurador para comentar o caso.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios