Mundo

Promotor alemão acredita que Madeleine McCann esteja morta

Polícias do Reino Unido e da Alemanha dizem ter chegado a um novo suspeito por trás do desaparecimento da menina, 13 anos depois

BERLIM — Depois de identificar um novo suspeito, autoridades alemães disseram acreditar que Madeleine McCann, a menina britânica que desapareceu no Algarve, em Portugal em 2007, aos 3 anos, está morta. Na quarta-feira, as polícias do Reino Unido e da Alemanha disseram ter chegado a um alemão de 43 anos, que atualmente está preso em seu país por outro motivo. O corpo de Madeleine não foi encontrado até hoje.

— Supomos que a menina está morta — disse o promotor do estado de Braunschweig, Hans Christian Wolters.

 

O homem, um criminoso sexual com várias condenações, inclusive por abuso sexual de crianças, não teve seu nome divulgado. Ele viveu no Algarve entre 1995 e 2007 e roubou hotéis e apartamentos de veraneio, além de comercializar drogas, segundo a polícia alemã.

Após a revelação do novo suspeito, a Justiça portuguesa confirmou nesta quinta-feira que está interrogando outras testemunhas. “Os elementos parecem mostrar a possível participação de um cidadão alemão de 43 anos, com antecedentes penais, que viveu em Portugal entre 1996 e 2007”, disse em comunicado.

A menina desapareceu de seu quarto no hotel Ocean Club, em maio de 2007, durante férias da família na Praia da Luz, no Algarve, enquanto seus pais jantavam com amigos. O desaparecimento desencadeou uma busca internacional e levou a diversas pistas, que se revelaram falsas ao longo dos anos. A família sempre teve esperança de que a menina ainda estivesse viva em algum lugar.

“Tudo que sempre quisemos foi encontrá-la, descobrir a verdade e levar os responsáveis à justiça”, disseram seus pais, Kate e Gerry, em um comunicado emitido antes de o promotor alemão se pronunciar. “Nunca abandonaremos a esperança de encontrar Madeleine viva, mas qualquer que seja o desfecho, precisamos saber, porque precisamos ter paz”.

A polícia alemã informou na quarta-feira que, embora a sequência exata de eventos ainda fosse objeto de investigação, o suspeito pode ter tido uma motivação sexual. Outra linha investiga  que ele tenha tomado uma decisão de sequestrar a menina durante uma invasão ao apartamento onde ela estava dormindo.

Pista falsa

A polícia alemã ainda quer conversar com uma segunda pessoa, também não identificada, que falou com o suspeito alemão através de um número de telefone português no dia 3 de maio 2007, data do desaparecimento de Madeleine.

No Reino Unido, autoridades pediram que qualquer pessoa que reconheça dois números de telefone se pronuncie. Sabe-se que um dos telefones foi usado pelo suspeito e que recebeu uma ligação de 30 minutos do segundo número na área da Praia da Luz na noite do desaparecimento, pouco antes de Madeleine  ser vista pela última vez.

Em maio de 2007,   Jane Tanner, uma amiga dos pais de Madeleine, afirmou ter visto um homem com uma camisa marrom e calça bege, carregando uma criança vestida com um pijama cor de rosa e branco. A polícia seguiu a pista falsa durante quatro anos.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios