DestaqueGeralJustiçaLava Jato

Queremos saber, porque estão paradas as investigação do ex presidente Luiz Inácio Lula da Silva na MPF – SP

Juíza vê ‘inércia’ da Procuradoria em inquérito que mira Lula

Em despacho, a juíza da 4.ª Vara Criminal Federal, Bárbara de Lima Issepi, afirmou ver ‘inércia’ da Procuradoria da República em São Paulo nos autos de uma investigação que mira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu filho, Luís Cláudio, por suposta lavagem de dinheiro e tráfico de influência. A força-tarefa afirma que o caso está entre suas prioridades e ressalta ser autora do pedido para que a Polícia Federal concluísse as investigações.

Nesta investigação, a Polícia Federal indiciou o petista e seu filho em razão de pagamentos à Touchdown, de propriedade de Luís Claudio. De acordo com delatores da Odebrecht, em contrapartida à influência de Lula junto da então presidente Dilma Rousseff, a empreiteira teria topado bancar projetos pessoais do filho do ex-presidente, como desenvolver o futebol americano no Brasil.

A construtora teria pago R$ 2 milhões pelos serviços da Concept prestados à Touchdown, relacionados ao esporte. A empresa do filho do ex-presidente teria recebido pagamentos que chegaram aos R$ 10 milhões de patrocinadores da Confederação. No entanto, para a Polícia Federal ressalta que o capital da Touchdown é de R$ 1 mil e apesar diz que os ‘serviços prestados pela empresa Concept estão aproximadamente 600% acima do valor de mercado’. Os investigadores ainda apontam repasses da empresa de Luís Cláudio para um ‘laranja’.

Após o relatório conclusivo entregue pela Polícia Federal, a juíza remeteu o caso para uma vara especializada em lavagem de dinheiro. Ela diz ter encaminhado os ‘autos ao MPF para que se manifestasse sobre o quanto requerido pela Autoridade Policial’.

“Decorridos aproximadamente 60 dias, o MPF sequer se manifestou. Ao revés, os autos somente foram devolvidos em razão da necessidade de inspeção judicial a ser realizada nesta Vara. Referida inércia contribui severamente para a inefetividade da persecução penal, e não pode ser tolerada, motivo pelo qual passo a me manifestar sobre a representação policial”, escreveu.

A coordenadora da força-tarefa da Operação Lava Jato em São Paulo, Anamara Osório Silva, afirma que o Ministério Público Federal em São Paulo tem trabalho com metas de produtividade.

“Esta investigação está na lista de prioridades da força-tarefa. Tanto está que fomos nós que pedimos o relatório conclusivo da PF neste inquérito e já estamos analisando o documento. Em breve, haverá novo ato da Procuradoria, que pode ser uma denúncia ou um pedido por mais diligências”, diz.

Contra o relógio
Neste mês, a força-tarefa de São Paulo obteve a mais dura sentença contra um alvo da Lava Jato. Trata-se da condenação do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza a 145 anos de prisão por desvios de R$ 7,7 milhões em programas de reassentamentos das obras do Rodoanel Trecho Sul. O processo era tido como uma das prioridades do Ministério Público Federal, já que Vieira de Souza completaria 70 anos no dia 7 de março.

No dia 15 de fevereiro, a ação foi esticada após liminar do ministro Gilmar Mendes, que determinou a reabertura da fase de depoimentos, quando o caso já estava em alegações finais – etapa derradeira do processo. Após 15 dias, o ministro reconsiderou a decisão, atendendo pedido da Procuradoria-Geral da República, e autorizou a Justiça Federal a sentenciar o ex-diretor da Dersa.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios