Notícias

‘Rei dos fiscais’ é condenado a 54 anos de prisão por cobrança de propina em SP

José Rodrigo Freitas teria recebido R$ 1,6 milhão para supostamente favorecer universidade. Segundo o MP, o ex-fiscal tem patrimônio avaliado em R$ 76 milhões

O ex-fiscal da Prefeitura de São Paulo José Rodrigo de Freitas, conhecido como “rei dos fiscais”, foi condenado pela Justiça a 54 anos de reclusão em regime fechado por corrupção e lavagem de dinheiro, após ser acusado de receber R$ 1,6 milhão de propina para supostamente favorecer a universidade Uninove. Ele está preso desde o ano passado.

O reitor e o pró-reitor da instituição de ensino na época dos fatos – entre 2003 e 2006 – também foram condenados a 10 anos de reclusão, em regime fechado, por corrupção ativa. O MP afirma que irá recorrer da condenação, por entender que eles devem ser beneficiados pela delação premiada, por ajudarem nas investigações. A Uninove colaborou com as investigações.

De acordo com a denúncia, Freitas, como auditor fiscal tributário da Prefeitura de São Paulo, teria solicitado, em diversas oportunidades, vantagem indevida dos representantes da Uninove para a manutenção e reconhecimento da imunidade tributária da universidade frente ao município de São Paulo, referente aos anos de 1998 a 2005.

Ainda segundo a denúncia, a partir de 2006, Freitas teria pedido propina para não impedir a manutenção e o reconhecimento da imunidade tributária referente aos anos futuros. O pagamento foi feito em 64 cheques.

Para ocultar os pagamentos, o ex-fiscal teria determinado a emissão de 49 cheques, dos 64 emitidos para o pagamento de propina, em benefício de empresas e de uma gráfica.

Em agosto de 2018, a polícia achou R$ 100 mil em dinheiro na casa de Freitas. 79 imóveis foram bloqueados pela Justiça, buscando a devolução dos recursos desviados aos cofres públicos.

Veja também: Polícia deflagra operação contra maior facção criminosa do DF

 

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios