Saúde

Rio segue com queda na média móvel de mortes pela Covid-19

Nesta segunda-feira, foram registrados 13 óbitos e 320 novos infectados em território fluminense; números são prejudicados pela retenção de dados nos municípios, o que acontece regularmente aos fins de semana

RIO — O Estado do Rio registrou 13 mortes e 320 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira, e continua com queda na média móvel de óbitos pela doença. Ao todo, são 17.003 vítimas e 242.811 infectados pela Covid-19 desde o início da pandemia, em março. Os números divulgados às segundas-feiras são mais baixos porque a maioria dos dados fica retido nas secretarias municipais durante o fim de semana.

A média móvel agora passa a ser de 58 mortes e 1.394 casos por dia. Há queda de 38% na média de óbitos na comparação com as duas semanas anteriores, o que, por estar acima dos 15%, pode indicar um cenário de diminuição no contágio da doença em território fluminense. O panorama é esse há doze dias.

A média móvel de 7 dias faz uma média entre o número de mortes do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o “ruído” causado pelos finais de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

 

As cidades com mais mortes pela Covid-19 no RJ são:

  • Rio de Janeiro – 10.116
  • Duque de Caxias – 681
  • São Gonçalo – 664
  • Nova Iguaçu – 539
  • São João de Meriti – 404
  • Niterói – 395
  • Campos dos Goytacazes – 337
  • Belford Roxo – 272

Os municípios com maior acúmulo de casos confirmados são:

  • Rio de Janeiro – 95.337
  • Niterói – 12.073
  • São Gonçalo – 11.592
  • Duque de Caxias – 8.731
  • Belford Roxo – 8.575
  • Macaé – 7.729
  • Volta Redonda – 6.069
  • Nova Iguaçu – 5.903

Comentários no Facebook

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios