Notícias

Sem subvenção de Crivella, escolas de samba de Niterói entram com um pé na frente em 2020

Unidos do Viradouro, Acadêmicos do Cubango e Acadêmicos do Sossego receberam subvenção recorde da prefeitura de Niterói: um total de R$ 5,3 milhões

NITERÓI — A pouco mais de três meses do carnaval , as três escolas de samba de Niterói que se apresentam na Marquês de Sapucaí já prepararam seus barracões para conquistar os jurados. Será a primeira vez que as agremiações que desfilam na Avenida não receberão subvenção da prefeitura do Rio , que vem reduzindo o repasse desde 2017. Mas o corte, visto como um obstáculo para desfiles mais exuberantes, pode ser uma oportunidade para as escolas niteroienses tomarem a frente: a prefeitura de Niterói destinou R$ 2,5 milhões para a Unidos do Viradouro, atual vice-campeã do Grupo Especial ; R$ 1,8 milhão para a Acadêmicos do Cubango , atual vice da Série A (e bicampeã do Estandarte de Ouro na Série A ); e mais R$ 1 milhão para a Acadêmicos do Sossego , também no Grupo de Acesso no Sambódromo .

Os valores pagos pelo município para 2020 são superiores aos deste ano, quando a Viradouro levou R$ 2,1 milhões, a Cubango R$ 1,4 milhão, e a Sossego R$ 500 mil.

Para Marcelinho Kalil , presidente da vermelho e branco, “é bom ter um prefeito que valorize a nossa cultura, mas muitas escolas buscam fontes de renda além das subvenções estatais, como enredos patrocinados”. Este, contudo, não é o caso da Viradouro, que se prepara para conquistar o título com o enredo “Viradouro de alma lavada”:

— Nosso enredo é inspirado nas Ganhadeiras de Itapuã , grupo musical formado em 2004 por mulheres negras, a partir dos cantos e das crenças das lavadeiras das margens da Lagoa de Abaeté, em Salvador, que vieram ao Brasil como escravas e resistiram ao período colonial. Para muitos, foi o primeiro movimento feminista do país. Viemos reverenciar a força da mulher e, em especial, da mulher negra — diz Marcelinho, ressaltando que, apesar da questão social abordada, o enredo não tem críticas políticas, como em outras escolas do Grupo Especial.

Força da comunidade

Mestre Ciça , que voltou ao comando da bateria da Viradouro no desfile deste ano após uma década fora, diz que trabalha para que o quesito conquiste os 40 pontos dos jurados e garante que, em 2020, a bateria estará muito mais confiante.

— Para o desfile do ano que vem, filtramos bem os integrantes e padronizamos melhor as batidas de caixa e de tamborim. Queremos dar esse título para a comunidade. A cada ensaio, nosso samba fica ainda mais entrosado com a bateria — conta.

Em homenagem ao escritor negro Luís Gama , a Cubango apresentará o enredo “A voz da liberdade”, dos carnavalescos Alexandre Rangel e Raphael Torres, novatos na escola. Para tentar superar o vice deste ano, o presidente Rogério Belisário diz que, “mais importante que a subvenção da prefeitura é a performance da comunidade, pois carnaval se ganha na Avenida”.

Segundo Raphael, a verde e branco passou por mudanças significativas para corrigir os erros deste ano, em que a comissão de frente perdeu três décimos. Assim, se diz confiante no título da Série A:

— Estamos com profissionais novos, tanto na parte plástica quanto na harmonia. Nosso novo coreógrafo é o Patrick Carvalho , que este ano fez um lindo desfile na Vila Isabel e se destaca pela sua originalidade.

Sossego vai usar a Passarela do Samba para exaltar o grupo de dança e percussão Tambores de Olokun , nascido em Pernambuco e que, hoje, reside no Rio. Agora sob nova direção, com Hugo Junior na presidência, a azul e branco do Largo da Batalha tenta se recuperar do penúltimo lugar deste ano, que quase rebaixou a escola à Série B.

— Para tentar apagar o desempenho deste ano, estamos com Marcinho Siqueira e Cristiane Caldas, que vieram da Mocidade, como nosso novo casal de mestre-sala e porta-bandeira . Mudamos muita coisa, menos a condução da bateria, que continua com o Mestre Laion , que fez um belíssimo trabalho este ano, nos dando pontos preciosos — conclui Hugo Junior, que até maio ocupava o posto de diretor de carnaval da escola.

Via
O GLOBO
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios