Mundo

Sobe para 5 o número de recapturados após fuga de presídio no Paraguai

Eles estão entre os 76 detidos que fugiram do presídio de Pedro Juan Caballero. Quatro foram recapturados no Paraguai e um em Ponta Porã (MS).

O número de presos recapturados após a fuga do presídio regional de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, subiu para cinco. Quatro homens foram recapturados do lado paraguaio da fronteira e um no brasileiro. As buscas continuam na região.

Veja mais: Guedes diz que Brasil vai abrir compras do governo a estrangeiros

Os 76 presos escaparam na madrugada de domingo (20), possivelmente por um túnel, do presídio de Pedro Juan Caballero, que é uma cidade vizinha de Ponta Porã (Mato Grosso do Sul). Entre os fugitivos, 40 são brasileiros e 36 são paraguaios. Segundo o ministério da Justiça do Paraguai, eles são integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC).

A prisão dos paraguaios Ronald Francisco Brítez López, Orlando Manuel Torres Verón e José Enrique Ullón Duarte aconteceu por volta de 23h30 (horário local) de segunda-feira (20) na cidade paraguaia de Concepción. Eles foram transferidos para Amambay, sede das investigações, de acordo com informações do “ABC Color”.

Na segunda-feira, as autoridades paraguaias já tinham anunciado a prisão do também paraguaio Sabio Darío González Figueredo, que cumpria pena por roubo, estava escondido em uma casa no bairro de San Juan, próxima à penitenciária.

Horas antes, um fugitivo brasileiro tinha sido recapturado em Ponta Porã pelo Departamento de Operações da Fronteira (DOF). De acordo com o DOF, ele tem 30 anos, é de Imperatriz (MA) e cumpria pena no presídio regional por tráfico de drogas há quatro anos.

Na lista de foragidos divulgada pelo Ministério da Justiça do Paraguai estão o brasileiro Timóteo Ferreira, apontado como líder da facção dentro do presídio. Também estão seis supostos integrantes do grupo de matadores de aluguel “Minotauro”, ligado ao narcotráfico. Eles atuam na fronteira e na semana passada buscavam deixar a prisão com uma ordem judicial.

Veja mais:Governo quer acabar com direito de preferência da Petrobras no pré-sal

Fuga

Desde domingo, as autoridades mobilizaram as forças de segurança tanto no Paraguai como no Brasil. Três carros que teriam sido usados na fuga foram encontrados do lado brasileiro da fronteira.

De acordo com a polícia, os detentos saíram por um túnel cavado a partir do banheiro de uma das celas, que ficava no piso inferior do presídio. Porém, de acordo com a imprensa paraguaia, existe a suspeita de que presos tenham deixado a cadeia aos poucos ao longo da semana pelo portão da frente.

As autoridades paraguaias buscam esclarecer se houve algum tipo de colaboração da parte dos funcionários do presídio. Por isso, o diretor do presídio e 30 agentes carcerários e de segurança foram detidos e levados para prestar depoimento no Ministério Público do Paraguai. Porém, eles não se pronunciaram a respeito da fuga.

Crise na segurança

Ainda no domingo, a ministra da Justiça, Cecilia Perez, afirmou que sua pasta denunciou ao Ministério Público um suposto plano de fuga e pagamento de 80 mil dólares (mais de R$ 330 mil) por parte de integrantes da facção criminosa para os funcionários do presídio de Pedro Juan Caballero, de acordo com o jornal “La Nación”. Ela chegou a colocar seu cargo à disposição, mas o presidente Mario Abdo Benitez não aceitou.

Na segunda, o vice-ministro de Política Criminal do Paraguai, Hugo Volpe, renunciou por causa de suspeitas de corrupção.

Uma investigação feita por autoridades brasileiras apontam indícios de que fiscais e representantes do ministério público paraguaio estariam envolvidos em um esquema de corrupção, mas não está claro se o esquema estaria relacionado com a fuga de domingo.

Fuga de presos no Paraguai — Foto: Guilherme Pinheiro/G1

Fuga de presos no Paraguai — Foto: Guilherme Pinheiro/G1

 

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios