DestaqueGeralJustiça

STF envia à primeira instância processo contra ministro do TSE

Ministro Admar Gonzaga é acusado de violência doméstica pela ex-mulher

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello enviou hoje (4) para a primeira instância da Justiça do Distrito Federal o processo no qual o ministro Admar Gonzaga, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi acusado pela ex-mulher de violência doméstica.

O caso está no STF desde 2017, quando a agressão teria ocorrido. Com a decisão, o caso será analisado pelo Tribunal de Justiça do DF, e não mais pelo Supremo. Para Celso de Mello, que é relator do caso, as acusações contra o ministro não têm relação com suas funções no tribunal, dessa forma, Admar não tem foro privilegiado na Corte nesse processo.

Na época dos fatos, Élida Souza Matos, ex-mulher do ministro, morava com ele e registrou um boletim de ocorrência, no qual relatou um machucado na região do olho e foi encaminhada para o Instituto Médico-Legal (IML) para exames. A defesa de Admar Gonzaga confirmou o registro do boletim de ocorrência, mas afirmou que Élida fez uma retratação, pedindo o arquivamento do caso. Os advogados negaram que tenha ocorrido agressão física e afirmaram que houve um desentendimento do casal com “exasperação de ambos os lados”.

Admar Gonzaga foi nomeado para o cargo pelo presidente Michel Temer em março de 2017.

O mandato do ministro chega ao fim no dia 27 de abril, mas Gonzaga poderá ser reconduzido para mais dois anos no cargo. No entanto, para continuar no TSE, é preciso que o presidente Jair Bolsonaro renove seu mandato.

Tags

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios