Notícias

Suspeito de matar bailarina que teve corpo encontrado em cachoeira é preso, no Paraná

Maria Glória Poltronieri Borges morreu há um mês em Mandaguari. Polícia diz que material genético encontrado no corpo de bailarina é de suspeito preso.

Um homem foi preso, na manhã desta sexta-feira (28), suspeito de matar a bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, que teve o corpo encontrado na área rural de Mandaguari, no norte do Paraná, de acordo com a Polícia Civil.

O corpo da bailarina e estudante universitária foi encontrado com sinais de violência sexual, no final de janeiro, perto de uma cachoeira, de acordo com a Polícia Civil. Conforme laudo do Instituto Médico-Legal (IML) a vítima foi estrangulada e estuprada. A vítima tinha 25 anos.

Segundo a Polícia Civil, o suspeito foi preso no Centro de Apucarana, na região norte do Paraná, e encaminhado para a delegacia de Mandaguari, onde está sendo ouvido.

Laudo

A Polícia Civil confirmou que o material genético encontrado nas roupas e no corpo de Maria Glória são do homem que foi preso nesta sexta-feira.

Além disso, o suspeito tem várias marcas de arranhões pelo corpo o que, segundo a polícia, comprova que ele lutou com Maria Glória.

Ainda conforme a polícia, o suspeito já foi condenado por estupro e tem várias passagens por agressão as mulheres.

Antes de ser preso, o suspeito já era monitorado pelos policiais. A prisão foi cumprida após a expedição de um mandado de prisão na quinta-feira (27), mesma data que o Instituto Médico-Legal (IML) enviou à polícia o resultado do exame do material genético.

Suspeito foi levado para a delegacia de Mandaguari — Foto: William Souza/RPC Maringá

Suspeito foi levado para a delegacia de Mandaguari — Foto: William Souza/RPC Maringá

Ida a cachoeira

A família informou que a bailarina frequentava a cachoeira com frequência e que, na véspera do dia em que o corpo foi encontrado, ela decidiu acampar em uma chácara para rezar e se conectar com a natureza.

O corpo foi encontrado com sinais de agressão e de violência sexual. Materiais genéticos encontrados no corpo da vítima foram encaminhados para Curitiba.

Em um mês, mais de 50 pessoas foram ouvidas pelas polícias de Mandaguari e Maringá.

Polícia Civil investiga morte de Maria Glória — Foto: Reprodução/Instagram

Polícia Civil investiga morte de Maria Glória — Foto: Reprodução/Instagram

Manifestações

A morte de Maria Glória motivou manifestações em várias cidades, pedindo o fim da violência contra as mulheres, chamando a atenção para o número de casos de feminícidio no estado e pedindo por mais segurança às mulheres.

Curitiba e Maringá tiveram atos em memória à bailarina.

Manifestação em Maringá reúne dezenas de pessoas — Foto: Alex Magosso/RPC Maringá

Manifestação em Maringá reúne dezenas de pessoas — Foto: Alex Magosso/RPC Maringá

Via
G1
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios