Internacional

Trump diz que EUA adotarão tarifa adicional de 10% sobre US$ 300 bilhões em bens da China

Anúncio ocorre no momento em que prosseguem as negociações para tentar amenizar tensões da guerra comercial entre os dois países.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira (1) que irá impor uma tarifa adicional de 10% sobre US$ 300 bilhões restantes em importações da China a partir de 1º de setembro, no momento em que prosseguem as negociações para tentar amenizar tensões entre as duas maiores economias do mundo.

“As negociações comerciais continuam, e durante as conversas os EUA começarão, em 1º de setembro, a colocar uma pequena tarifa adicional de 10% sobre os US$ 300 bilhões restantes em bens e produtos vindos da China para o nosso país. Isso não inclui os US$ 250 bilhões já tarifados em 25%”, escreveu Trump no Twitter.

Em uma série de tuítes, Trump também culpou a China por não cumprir com as promessas de comprar mais produtos agrícolas norte-americanos e criticou especificamente o presidente chinês, Xi Jinping, por falhar em fazer mais para cessar as vendas do opióide sintético fentanil.

Os índices acionários dos EUA reduziram ganhos após o anúncio de Trump e o Dow Jones passou a operar em território negativo.

Negociadores dos EUA e China encerraram dois dias de conversas em Xangai na quarta-feira com poucos sinais de progresso, embora ambos os países tenham descrito as negociações como construtivas. Uma nova rodada de reuniões entre os negociadores foi marcada para setembro.

Os EUA e a China estão envolvidos em uma guerra comercial marcada por tarifas recíprocas desde o ano passado. As tensões prejudicaram cadeias globais de abastecimento e abalaram mercados financeiros.

Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios