Polícia

Vereador de Maricá morreu ao tentar defender o filho, diz polícia

Ismael Breve de Marins (DEM), de 58 anos, e seu filho Thiago Marins, de 33, foram assassinados nesta quinta-feira

As primeiras informações obtidas pela Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo (DHNSG), que investiga o assassinato do vereador de Maricá Ismael Breve de Marins (DEM), de 58 anos, e de seu filho, o advogado Thiago André Marins de Marins, de 33, dão conta de que o alvo dos criminosos era o filho e não o vereador. Apurações iniciais feitas pela DH revelaram que dois bandidos armados com uma pistola e um revólver arrombaram a porta da cozinha da casa e estavam indo na direção do quarto de Thiago, quando o vereador saiu em defesa do filho.

– Inicialmente, podemos dizer que o vereador foi defender o filho e entrou em luta corporal com os assassinos. E foi atingido por um tiro na cabeça à queima-roupa. A sobrevivente, mulher do vereador, será levada para a DH para ser ouvida – informou o delegado Leonan Calderaro, da DHNSG.

O delegado Leonan Calderaro , da DHNSG, disse que o corpo do filho do vereador tem marcas de de quatro a seis tiros e o do vereador, três tiros, sendo um na cabeça. Thiago tinha uma arma registrada em casa. Era divorciado e deixa uma filha de 3 anos.

O vereador, que tinha como objetivo ser prefeito de Maricá, morava próximo a vários parentes que são pescadores na Lagoa de Araçatiba. Ele e a família viviam numa casa humilde em frente à lagoa, na Rua Agripio Luiz da Costa, no bairro Zacarias, em Maricá. De acordo com o advogado Uilton Viana, ex-cunhado do vereador morto, o parlamentar trabalhou em seu escritório de advocacia e também na legalização de imóveis na cidade mesmo sem possuir registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (CRECI) antes de ser eleito para Câmara Municipal.

Prima e cunhada do vereador assassinado, a pescadora Arceni Marins, de 62 anos, disse que o sonho de Ismael era ser prefeito de Maricá:

– Ele pensava em ser prefeito, mas foi impedido disso. Eu moro do lado da casa dele, mas não escutei os tiros, pois meu quarto fica bem separado. Quando meu filho me contou o que tinha acontecido, eu não acreditei, como até agora não estou acreditando. Pois ele era uma pessoa maravilhosa. Meu cunhado sempre foi meu amigo. Ele era uma pessoa do povo, ia em qualquer lugar. E ajudava todo mundo. Nunca comentou ter problema com ninguém.

Outro primo do vereador, o pescador aposentado Vilson Francisco Correa, disse que Ismael vinha tentando ajudar a comunidade local numa briga que se arrasta há anos e que diz respeito à tentativa de um grupo imobiliário de construir um resort junto à Lagoa de Araçatiba:

– Eu não devo suspeitar de nada. É a polícia quem vai apurar. Mas vivemos aqui uma disputa territorial que já dura décadas. Quero construir um resort. Meu primo não era contra o progresso, mas ele só queria que isso acontecesse de forma responsável.

Via
O Globo
Etiquetas

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios